Seguidores

sábado, 29 de agosto de 2009

Identidade – a importância do nome próprio para o aluno em processo de alfabetização



Esse é um dos Projetos desenvolvidos em nossa instituição: EM Profª Clori

Nossos educadores, alfabetizadores se dedicam muito para seu sucesso!
Queridos Educadores, muito obrigada pelo trabalho maravilhoso que desenvolvem com e por nossos educandos!


ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL
PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
ESCOLA MUNICIPAL PROFª CLORI BENEDETTI DE FREITAS

Dados da aula
Coordenação Pedagógica:
Alciléia Marques Lima
Maria Ivanilda Saraiva Milfont Moreira
Título: Identidade – a importância do nome próprio para o aluno em processo de alfabetização

Tema: Linguagem oral e escrita
Nível de ensino: Educação Infantil e 1º ao 3º Ano do Ensino Fundamental
E "para todos aqueles que ainda precisam utilizar o nome como referência para a construção de novas escritas". (Sugestão encaminhada por: http://marinalvamatheus.blogspot.com) Disciplina: Língua Portuguesa
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=3212
Aula publicada no Portal do Professor, confira comentários!

O que o aluno poderá aprender com esta aula:
A escrita do nome próprio é uma das mais importantes conquistas do educando que entra no mundo das letras. Para ele, o conjunto de letras que compõe seu nome o representa, proporciona a percepção de si como um ser social, com um nome próprio que o representa, diz algo sobre sua identidade, sua filiação, sua história. A escrita do nome próprio tem papel fundamental no processo de alfabetização do educando, pois representa um passo importante de sua entrada no mundo da escrita.
O conhecimento do nome próprio tem duas consequências importantes para os educandos que estão em processo de alfabetização: uma escrita livre do contexto; uma escrita que informa sobre a ordem não-aleatória dentro do conjunto de letras.
A escrita do próprio nome representa uma oportunidade privilegiada de reflexão sobre o funcionamento do sistema de escrita, pelas seguintes razões: tanto do ponto de vista linguístico, como do gráfico, o nome próprio é um modelo estável; é um nome que se refere a um único objeto, com o que se elimina para o educando, a ambiguidade na interpretação; tem valor de verdade porque se reporta a uma existência, a um saber compartilhado por ambos, emissor e receptor; do ponto de vista da função, fica claro que identificar objetos ou indivíduos, com nomes, faz parte dos intercâmbios sociais de nossa cultura; a forma e o valor sonoro convencional das letras; a quantidade de letras necessárias para escrever os nomes; a variedade, a posição e a ordem das letras em uma escrita convencional; a realidade convencional da escrita o que serve de referência para checar as próprias hipóteses.
O trabalho oportunizará aos alunos além da conquista da escrita do próprio nome, a compreensão da escrita do próprio nome; momentos de reflexão sobre a escrita a partir de uma referência estável, o próprio nome; e compreensão da importância do nome próprio, suas letras, sua quantidade, variedade, posição e ordem.

Duração das atividades:
O trabalho poderá ser desenvolvido aproximadamente durante um bimestre, mas destacaremos três aulas.

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno:
§ Roda de conversa para saber o que os alunos acham de seus nomes, se conhecem seu significado, sua história e de que outros nomes gostam;
§ Solicitar que pesquisem com seus familiares a história de seu nome.

Estratégias e recursos da aula:
§ Crachá: Confecção e exploração de um crachá de mesa para uso diário, confeccionado em um retângulo de cartolina, de um lado a foto (tirada em sala de aula) e o primeiro nome do aluno, do outro lado, o nome completo, com nome e sobrenome, com letras de imprensa maiúsculas ou cursivas, de acordo com o nível da turma; o segundo crachá é confeccionado com o nome de cada aluno, em um retângulo de cartolina, com furos para encaixar barbante e pendurar no pescoço, que servirá para identificá-los, inclusive fora da sala de aula; o terceiro crachá é elaborado com o nome para ser utilizado no cartaz de pregas como lista de presença, também em retângulos de cartolina.
§ Comparação de tamanho de nomes: utilizando o cartaz de pregas de presença os alunos serão estimulados a observarem qual o maior e o menor nome, estabelecendo comparações entre a quantidade de letras presentes em cada nome. Mostrar para os alunos que nem sempre o tamanho da pessoa corresponde ao tamanho de seu nome, como nem sempre o tamanho de animais, objetos e coisas, corresponde ao tamanho de sua escrita.
§ Auto-retrato: Apresentar aos alunos alguns auto-retratos de artistas plásticos como de Romero Britto, Vicent Van Gogh, Tarsila do Amaral e Frida Kahlo, com utilização de data show; explorar as reproduções de auto-retrato, observando o formato do rosto de cada artista, as cores e formas utilizadas; o professor apresenta aos alunos uma caixa-surpresa que, ao ser aberta, descobrem sua própria imagem, refletida em um espelho colado no fundo da caixa; solicita ainda que observem a estética do seu rosto; em seguida distribui-se diferentes materiais, como papel, lápis de cor, giz de cera e caneta hidrocor, para que os alunos construam seus auto-retratos, lembrando-os de assinarem suas obras. Concluídas as produções, é realizada uma exposição onde os alunos tentarão identificar o autor do auto-retrato; o mesmo apresenta sua obra, se apresenta, , fala sobre a origem do seu nome , se gosta ou não do mesmo.
§ Trabalho com a poesia: “O nome da gente”, de Pedro Bandeira: Trabalhar com o título da poesia; Verificar, com os alunos o sentido do título, fazer antecipações da leitura; Ler o texto disponível no link: http://ocantinhodalena.com.br/criancas/crian03/crian03.htm com os alunos. Fazer questionamentos orais sobre o mesmo.
§ Preguicinha: O educador apresenta a “preguicinha” que é um envelope retangular confeccionado em EVA, com o nome completo de cada educando dentro dela. A leitura do nome é feita retirando devagar o nome, apresentando letra por letra à classe, estimulando-os a leitura do mesmo. O ideal é trabalhar nomes que se iniciam com a primeira e segunda ou última letras iguais, instigando-os a fazerem comparações, descobertas, como por exemplo: Ivone, Ivanilda, Ivete, Iria e Ingrid; Alcione, Alciléia, Alda, Aldo e Almerinda.
§ Salada de nomes: Os educandos recebem um alfabeto móvel ou sílabas móveis, de acordo com o nível da turma, com as letras/sílabas utilizadas para construir seu nome e sobrenome; com as quais são estimulados a construírem seus nomes com o auxílio do crachá; após o trabalho com o alfabeto móvel/ sílabas móveis, os educandos são instruídos e estimulados a formarem outros nomes com as letras utilizadas para construção do seu nome; cada um registrará os nomes construídos.
§ Bingo dos nomes: Fornecer uma folha de papel com cinco espaços em branco. O aluno escreve o próprio nome em um dos espaços e os nomes de quatro colegas. Sorteiam-se os nomes e os alunos que os estiverem vão marcando ponto. Aquele que completar sua cartela primeiro vencerá o jogo.
§ Acróstico: Formar um acróstico com o nome de cada aluno da turma. Cada um vai dizer as qualidades do colega, que serão escritas conforme a letra presente no nome. Os acrósticos serão expostos no mural da escola.
Avaliação:
§ O progresso dos alunos será avaliado através de uma folha de assinaturas: toda semana, enquanto a turma está aprendendo a escrever o nome próprio completo, o professor passará uma folha pautada datada, para cada aluno assinar. Essa folha será exposta no varal e trocada por outra nova a cada semana. As folhas serão digitalizadas e organizadas em uma apresentação de slides, para cada um avaliar o tanto seu próprio progresso individual, quanto coletivo na escrita do nome de todos os colegas da turma, em uma apresentação semestral, para os alunos com participação dos responsáveis.

Disponibilizamos imagens de alguns dos momentos mais significativos da execução do projeto, confira:
http://www.slide.com/r/mv6bwi1E3z-S4wVyUOjID4xhoQuff57G?previous_view=mscd_embedded_url&view=original

Agradecimento Especial:
§ A minha amiga... colega de trabalho... companheira... quase mãe... Alciléia que tanto me ensina, e sempre com muita bondade e paciência, Muito Obrigada!
§ A equipe de educadores da EM Profª Clori, especialmente nossa Diretora AdjuntaIvone Bonetti, as Professoras: Marlene Cardoso de Souza, Andréia dos Santos Coelho Oliveira Coelho Vanzin, Maria Juldete Munin, Marled Quadra Riquelme e Maria Elena Martins, que trabalharam tanto para construção, quanto para execução e sucesso do projeto.


10 comentários:

  1. Seu blog está muito legal, acolhedor.
    A proposta com nome próprio é excelente, não só para as séries iniciais, mas para todos aqueles que ainda precisam utilizar o nome como referência para a construção de novas escritas.
    Adorei!
    Marinalva

    ResponderExcluir
  2. Adorei a proposta com nome próprio. Bjs.
    Marinalva

    ResponderExcluir
  3. Querida Marinalva,
    Apesar de ser suspeita para fazer qualquer comentário...
    Acredito que o processo de alfabetização que valoriza o nome próprio, proporciona ao aluno uma oportunidade impar, que lhe marcará eternamente! Acredito ainda, que a chance desse aluno ser bem sucedido amplia-se imensamente!
    Muito obrigada pelo comentário, são educadores como você que nos fazem acreditar cada vez mais em nosso trabalho!
    Um forte abraço,
    Ivanilda Milfont

    ResponderExcluir
  4. Querida Marinalva,

    Obrigada novamente pelo carinho!
    Vou aproveitar e fazer propaganda de um blog que acabei de conhecer, muito legal, acolhedor, além de ser uma fonte maravilhosa de material para estudo e reflexóes:
    http://marinalvamatheus.blogspot.com

    Muito obrigada pela dica, vamos aprimorar nosso projeto para outras faixas etárias!
    Um abraço,
    Ivanilda Milfont

    ResponderExcluir
  5. Parabéns, interessante a poposta.
    Abraços Tânia

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pelo blog Maria Ivanilda!!
    Muito interessante!

    ResponderExcluir
  7. Querida Tânia,

    Muito obrigada pelo carinho!
    O intuito é exatamente esse:
    compartilhar experiências interessantes!
    Um forte abraço virtual...

    Ivanilda Milfont

    ResponderExcluir
  8. Querida Valéria,

    Muito obrigada pelo incentivo!
    Motivação nunca é demais ne?!
    Um forte abraço virtual,

    Ivanilda Milfont

    ResponderExcluir
  9. Adorei as sugestões;são excelentes!PARABÉNS...

    ResponderExcluir

Muito obrigada por seu comentário, ele é muito importante!

Fique por dentro

Loading...